foto site.jpeg

Por Sonia Cooper 

teatro.jpg

TEATRO 

Céu Estrelado 

São Paulo, 15 junho 2022

O Brasil profundo, longe do litoral e dos grandes centros urbanos, apresenta uma cultura rica e diversa, fundamental para a compreensão da identidade nacional. Esse lugar, que pode estar na fronteira entre Minas Gerais, Espírito Santo e sul da Bahia, no interior do Mato Grosso ou mesmo no nosso imaginário afetivo, ganha os palcos no musical inédito “Céu Estrelado”. O espetáculo, que estreou nacionalmente no CCBB do Rio, em 26 de maio, para temporada de duas semanas, já esteve no CCBB BH e no CCBB Brasília e agora segue para o CCBBSão Paulo (23 a 26 de junho).

O espetáculo faz um resgate do cancioneiro popular brasileiro em uma história que reflete sobre o nosso lugar no mundo a partir de relações pessoais e sociais. 

“A história nos leva a refletir sobre a inevitável passagem do tempo, o curso da vida e como é urgente e necessário que a humanidade resgate seu olhar sensível para a natureza”, comenta o diretor Viniciús Arneiro. “É também uma trama que fala sobre o que ganhamos e o que perdemos quando deixamos nossa cidade e nossas raízes para seguir um sonho, uma carreira. É uma peça delicada, leve e, ao mesmo tempo, dramática. Tem uma dramaturgia que vai nos surpreendendo”, acrescenta o diretor João Fonseca.

Com exceção do ator convidado Bruno Garcia, o elenco, formado por artistas de diferentes origens, foi escolhido em audições. “Tem gente que nasceu em Natal, Recife, Angra dos Reis, Goiânia, Rio de Janeiro. Os sotaques são muito distintos e se misturam em cena. Fizemos questão que permanecesse assim, para enfatizar que é também nessa multiplicidade cultural que reside a beleza do português não uniforme do Brasil”, conta Arneiro. 

Na trilha sonora escolhida a dedo pela equipe criativa, estão canções de Milton NascimentoChico CésarChico BuarqueGilberto GilJovelina Pérola Negra, entre outras. O diretor musical Tony Lucchesi explica que o elenco vai ter o acompanhamento do violonista Gabriel Quinto, mas alguns dos atores também vão tocar instrumentos em cena. Além disso, todas as canções ganham novos arranjos para aumentar a dramaticidade das cenas. “As músicas foram escolhidas pela sua importância e beleza, mas também porque são essenciais para contar a história da maneira forte e poética”, conclui.

 

Texto: Carla Faour

Direção Artística: João Fonseca e Viniciús Arneiro

Direção Musical: Tony Lucchesi

Idealização: Gustavo Nunes

Violonista, Coarranjador e Direção Musical Residente: Gabriel Quinto

Elenco: Bruno Garcia, Juliana Linhares, Daniel Carneiro, Dani Câmara, Hamilton Dias e Natasha Jascalevich

Uma produção original: Turbilhão de ideias

Apresentado por Brasilcap

 

Céu Estrelado

Centro Cultural Banco do Brasil SP - Teatro

Temporada23 a 26 de junho de 2022.

Dias e horários: Quinta e sexta às 19h; sábado e domingo às 17h.

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro Histórico, Triângulo SP, São Paulo–SP

Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô.

#ceuestrelado #ccbb #artefeed #teatro #musical #musical #programaçãosp #festajunina #mpb #miltonnascimento #chicocesar #chicobuarque #gilbertogil #jovelina #perolanegra #elbaramalho #tumtumbatecoração #brunogarcia #turbilhãodeideias #gustavonunes #brasilcap 

AP5.jpeg

São Paulo, 2 maio de 2022

 

Em 2018, um verdadeiro fenômeno tomou conta da cena do teatro musical de São Paulo. Por quatro meses, todas as sessões de ‘A Pequena Sereia’, superprodução da Broadway inspirada no filme da Disney, tiveram seus ingressos esgotados chegando a um público impressionante de 120 mil espectadores em apenas quatro meses. De lá pra cá, o que não faltam são pedidos dos fãs pela volta do espetáculo, que finalmente serão atendidos em uma nova e curta temporada no Teatro Santander, localizado no Complexo JK Iguatemi, somente de 17 de julho a 16 de outubro de 2022

 

Para aqueles que quiserem garantir a chance única de ver ou rever essa montagem de números impressionantes, os ingressos estarão à venda a partir de 03 de maio na internet (www.sympla.com.br) e pela bilheteria oficial do próprio Teatro (sem taxa de conveniência - Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041). As apresentações ocorrem todas as quintas e sextas-feiras, às 21hsábados, às 16h e 20h; e domingos, às 15h e 19h.

 

O elenco de 33 atores traz nomes consagrados do teatro musical, como Fabi Bang (Ariel), Andrezza Massei (Úrsula), Lucas Cândido (Linguado); Conrado Helt (rei Tritão), Fábio Yoshihara (Grimsby), Rodrigo Garcia (Sabidão), Arízio Magalhães (Chef Louis), Lucas de Souza (Limo), Marcelo Vasquez (Lodo). Os atores que viverão o Príncipe Eric e o divertido Sebastião serão divulgados em breve. 

 

Completam a lista Willian Sancar, Aline Serra, Amanda Vicente, Ana Araújo, Carla Vazquez, Gabriela Germano, Letícia Mamede , Luana Bichiqui, Nay Fernandes , Daniel Caldini, Camillo, José Dias, Lucas Colombo, Lucas Nunes, Mau Alves, Murilo Armacollo, Renato Bellini, Tiago Dias, Afonso Monteiro, André Luiz Odin, Esther Arieiv e Nina Sato.

 

A diretora e coreógrafa Lynne Kurdziel-Formato, que já esteve à frente de diversos musicais no mundo, assina a versão brasileira, destinada ao público de todas as idades, tanto para quem guarda o filme em sua memória afetiva quanto para as novas gerações. Essa foi a primeira vez que a Disney autorizou uma montagem no país, sem obrigação de ser uma réplica. A IMM e EGG Entretenimento, da empresária Stephanie Mayorkis, compraram os direitos para realizar este espetáculo no Brasil, que conta com apresentação do Ministério do Turismo, patrocínio master do Santander, patrocínio Lorenzetti e Sem Parar, com apoio do Banco RCI, Eurofarma e Mondial

 

“Do momento em que esgotamos todas as sessões de ‘A Pequena Sereia’ em 2018 com semanas de antecedência, o que não faltaram foram pedidos de uma nova temporada. É impressionante como conseguimos nessa parceria tão exitosa com a Disney Theatrical Group produzir um espetáculo de tamanha beleza e que tocou tão profundamente a alma do brasileiro. Estamos absolutamente extasiados em conseguir trazer essa aventura de volta!”, destaca Stephanie Mayorkis, coprodutora do espetáculo e diretora da IMM

 

“Estamos muito felizes por trazer de volta ao público brasileiro uma produção tão bonita, tão fiel às intenções originais do musical. Nossos tradutores fizeram um trabalho primoroso. Vamos novamente brindar nosso público com uma superprodução que tem toda a magia do universo da Disney”, comemora Alan Adler, CEO da IMM.

 

A Pequena Sereia – O Musical da Disney - Com base na clássica história de Hans Christian Andersen, “A Pequena Sereia” tem como protagonista Ariel, que vive no fundo do mar, mas quer fazer parte do mundo dos humanos. Depois de tomar coragem e fazer um acordo com Úrsula, a esperta bruxa do mar, Ariel embarca na aventura da sua vida. Ao lado de Linguado e Sebastião, Ariel precisará de coragem e determinação para fazer o bem para os seus dois mundos.

 

Os números da superprodução são impressionantes: são 250 figurinos, 1200 equipamentos de iluminação e mais de 250 profissionais envolvidos. Os figurinos de Fábio Namatame têm inúmeras particularidades: foram usados 30 mil cristais, além de 8 mil metros de fitas de cetim para as gaivotas. 

 

Outro fator que garante sucesso à montagem são os toques de brasilidade na versão de Mariana Elisabetsky e Victor Mühlethaler que, juntamente com a Disney, conseguiram garantir pitadas e ritmos do nosso país que encantam o público. 

 

Produzido originalmente pela Disney Theatrical Productions, o musical estreou na Broadway em 2008. O texto do musical é de Doug Wright, letras de Howard Ashman (escritas para o filme) e letras adicionais de Glenn Slater. A música é de Alan Menkenconsiderado um dos mais importantes compositores norte-americanos, vencedor de oito Oscar, 11 Grammy e sete Globos de Ouro, responsável pela trilha de alguns dos principais filmes da Disney, como ‘A pequena Sereia’, ‘A Bela e a Fera’, ‘Aladdin’, ‘Pocahontas’, 'Hércules' e ‘Encantada’, entre outros. A Pequena Sereia teve duas indicações ao Tony Awards, três ao Drama Desk Awards (incluindo melhor atriz), sete ao Broadway.com Audience Awards (vencendo com Sierra Boggess, na categoria revelação favorita), além de ter sido indicado ao Grammy como melhor álbum de gravação de elenco. 

 

Lançado em 1989, o filme foi uma das maiores bilheterias do ano, sendo um marco na retomada das grandes produções da Disney. ‘Under the sea’, presente também na trilha do musical, ganhou o Oscar e Globo de Ouro de melhor canção original, além do Grammy de Melhor canção escrita para filme. A trilha sonora também venceu o Oscar e o Globo de Ouro. 

 

A montagem brasileira traz, além de Lynne Kurdziel Formato (diretora artística e coreógrafa), Jorge de Godoy (diretor musical), Mariana Elisabetsky e Victor Mühlethaler (versão brasileira) e Stephanie Mayorkis (produção geral).

 

Equipe Criativa:

 

Diretora Artística e Coreógrafa – Lynne Kurdziel Formato

Diretor Musical – Jorge de Godoy

Cenógrafo e Designer de Luz – Benjamin la Cour

Figurinista - Fábio Namatame

Designer de Som - Tocko Michelazzo

Designer de Peruca e Maquiagem - Feliciano San Roman

Versão Brasileira - Mariana Elisabetsky e Victor Mühlethaler

 

Produção geral - Stephanie Mayorkis

 

Realização: IMM e EGG Entretenimento (Stephanie Mayorkis)

Baby, Você Precisa Saber de Mim 

baby morente.jpg

São Paulo, 5 de maio 2022

Baby – Você Precisa Saber de Mim é um monólogo interpretado e escrito por Rafael Primot , que narra a história sobre o amor e o afeto entre dois irmãos que precisam lidar e se amparar diante da possível morte de sua mãe enferma. 

 

            Primot interpreta Edu, um escritor de rótulos e embalagens que precisa revistar seu passado e a sua família no interior depois de um longo período morando na cidade grande. À medida em que ele narra essa volta ao lar e seus momentos de desentendimentos e afeto com a irmã e o pai, revive lembranças de sua vida na casa de família, especialmente aquelas em que está ao lado da mãe. Um espetáculo que brinca com os limites entre a narrativa ficcional e a realidade biográfica.

 

            Com essa trama, a peça faz um retrato de uma família comum e aparentemente perfeita que é tomada de surpresa por uma doença que vai transformar seus destinos e relações. E é ela que fará ressurgir o amor e reaproximar os que permanecem vivos.

 

“Nem tudo é verdade, nem tudo é ficção”

 

“Uma história sobre o amor e o afeto entre dois irmãos”

 

            O tema central é a relação familiar diante de uma possível morte, do tempo limitado dado por uma doença irreversível e como (re) aprender a seguir adiante. Trata-se, portanto, de um espetáculo otimista sobre amor, afeto e união familiar de maneira singela e singular. Principalmente é sobre VIDA e a maneira se viver, nossas escolhas, a distância e a aproximação entre familiares.

 

Alguns desses momentos foram inspirados em uma história real e (re)vividos pelo autor, misturado com histórias ouvidas e captadas, tudo junto e misturado, para então ser compartilhada de maneira particular em um texto extremamente original, com uma visão singular e inovadora.

 

            BABY – VOCÊ PRECISA SABER DE MIM é idealizado e dirigido por Rafael Primot que apresenta um histórico de prêmios e participações em importantes festivais com suas obras, como GATA VELHA AINDA MIA, e TODO CLICHÊ DE AMOR, além de ter trabalhado com importantes diretores e companhias teatrais ao longo de sua carreira.

 

            O espetáculo traz uma história comum a todos, e torna-se, portanto, capaz de criar uma profunda identificação com o espectador. Mas o mais importante disso é que, neste momento tão devastador que vivenciamos, o espetáculo ainda mostra que é possível ressignificar a dor e reconstruir a vida ao tratar o fio condutor – o retorno ao lar – com uma abordagem nova, honesta e otimista.

 

            “Estamos revisitando nossas casas, nossos amores, a pandemia nos obrigou a olhar mais para dentro de nós mesmos, para nosso lar e nossos entes queridos”, relaciona Primot. “Falamos de amor, amor fraternal, familiar, frustrações, mas também apontamos um caminho esperançoso numa situação de perda dentro da família”, diz o diretor sobre esta história que aborda assuntos necessários e urgentes como o luto, a família, o amor e a trajetória dos protagonistas na busca da compreensão sobre si mesmo de maneira verdadeira, real e emocionante.

Texto e Atuação: Rafael Primot

Direção: Rafael Primot e Rodrigo Frampton

Figurinos: Débora Falabella

Coprodução: Morente Forte Comunicações

Mulheres que Nascem com os Filhos_Lorena Zschaber 02.jpg

Mulheres Que nascem com os Filhos

 

São Paulo, 15 abril de 2022

Depois de estrear nos palcos cariocas no começo de 2022, a peça Mulheres que Nascem com os Filhos, idealizada e protagonizada pelas atrizes Samara Felippo e Carolinie Figueiredo e dirigida por Rita Elmôr, chega a São Paulo. O espetáculo fica em cartaz no Teatro Nair Bello, no Shopping Frei Caneca, entre 15 de abril e 5 de junho, com apresentações às sextas e aos sábados 21h; e aos domingos 19h.

Indicada para mulheres, mães, homens e todos que são filhos, a montagem aborda de forma sensível, bem-humorada e sarcástica – como a própria vida das mães – o cotidiano e os dilemas do universo da maternidade, além da trajetória de renascimento da mulher com a chegada desse momento.

“Eu renasci com a maternidade. Saí de uma zona de conforto e encontrei minha força e sentido na vida. Fui atrás da desconstrução para me reconstruir junto com minhas filhas. Nessa peça, quero trazer a transformação que é, em qualquer vida, a chegada de uma criança. Quero poder ecoar a voz dessas mães, mulheres, e até pais, que buscam diariamente fazer o seu melhor na criação dos filhos. Desde que minha filha, menina negra, questionou a beleza do seu cabelo, minha vida tomou outro rumo. Fui ao encontro de um mundo racista, cruel e covarde em busca de soluções e acolhimento.”, conta a atriz Samara Felippo, mãe de duas meninas negras e criadora do canal no YouTube “Muito além de cachos”.

Ao abordar temas como a gravidez, o puerpério, a criação dos filhos, a aceitação do corpo pós-filhos e o encontro de sua nova identidade como mulher, o trabalho busca desconstruir modelos e convidar as mulheres a pensar na maternidade para além dos velhos rótulos.

“Ao longo de nove meses, mergulhamos nas questões da maternidade, do ser filha, ser mãe, e o que isso determina nas nossas vidas. O que recebemos das nossas mães e pais, e passamos adiante. Fomos muito fundo nessas memórias, nessas dores. A maternidade é o tema da minha vida. Eu fui mãe adolescente, aos 18 anos (do Lucas), e tinha então uma relação muito difícil com a minha mãe. Ao longo da vida, tive que me desenvolver muito para curar as dores causadas por essa relação, entender e perdoar minha mãe. Eu e ela conseguimos nos resolver, e, de alguma maneira, eu trouxe isto para a peça. Fui mãe novamente agora, aos 46 anos (da Nina), e o trabalho com as meninas na sala de ensaio também me ajudou muito. Foi um processo de troca intensa”, relata a diretora Rita Elmôr.

Sobre as mudanças na vida ao se tornar mãe, a atriz e terapeuta Carolinie Figueiredo compartilha: “A maternidade mudou completamente minha vida, inclusive no campo profissional. Eu precisei passar por um profundo processo de redefinição de valores após a chegada dos filhos. É preciso sair do automatismo de repetir com os filhos aquilo que recebemos na infância como forma de educar. O mundo mudou, as crianças mudaram e a nossa geração precisa refletir sobre uma parentalidade mais consciente.”

 

Texto: Samara Felippo, Carolinie Figueiredo e Rita Elmôr

Elenco: Samara Felippo e Carolinie Figueiredo

Direção, Cenografia e Trilha Sonora: Rita Elmôr

 

Temporada: 15 de abril a 5 de junho, às sextas e aos sábados, às 21h; e aos domingos, às 19h

Teatro Nair Bello - Shopping Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 569, 401A, Consolação, São Paulo

#mulheresquenascemcomosfilhos #samarafelippo #teatro #maternidade #mãe #conflitos #psicologia #artefeed 

 

 

Familia Addams 

São Paulo, 3 de março 2022

 

A família que cativou o coração de milhares de espectadores no Brasil e no mundo está de volta! Depois de uma pausa por conta da pandemia, a T4F abre novamente o palco do Teatro Renault para receber os personagens excêntricos, assustadores, acolhedores e engraçados que encantam gerações.

Essa super produção promete trazer ,inicialmente à São Paulo, um tom divertido e bem diferenciado da última apresentação de  2012. Os tempos são outros, muita coisa mudou no mundo de lá pra cá, socialmente, e essas mudanças fazer parte dessa nova temporada atual do musical.

Os atores, Daniel Boaventura e Marisa Orth encabeçam o maravilhoso elenco, que vem seguido de Kiara Sasso, Liane Maya e Fred Silveira, e outros.

A nova  montagem tem a direção Geral do italiano Federico Bellone, Supervisão Musical de Miguel Briamonte, Direção residente do maravilhoso ator, produtor Luciano Andrey, figurinos de Fabio Namatame, coreografia de Marta Melchiorre e produção geral Almali Zraik.

Elenco Principal: Marisa Orth, Daniel Boaventura como Morticia Addams e Gomez Addams

Kiara Sasso, Fred Silveira, Liane Maya, Pamela Rossini, Dante Paccola, Bernardo Berro, Raphael Souza, Rodrigo Spinoza, Tiago Kaltenbacher.

Ensemble - Jana Amorim, Anna Preto, Lara Suleiman, Vania Canto, Daniel Cabral, Wagner Lima, Marcelo Ferrari, Felipe Carvalhido.

Swing- Marilia Nunes, Keila Bueno, Matheus Paiva e Vicente Oliveira.

Onde comprar? Na bilheteria do Teatro Renault e pela ticketsforfun.

Onde fica o teatro? Avenida Brigadeiro Luis Antonio 411 no bairro da Bela Vista em São Paulo. 

O espetaculo estreia dia 10 de março e é de quinta a domingo. Verifique os horários na ticketsforfun.

Assistam nosso video a seguir com trechos musicais da peça e entrevista dos atores.

 

 

Vingança 

unnamed (2).jpg

São Paulo, 15 junho 2022

Sucesso do teatro musical brasileiro dos últimos anos, o espetáculo Vingança volta ao cartaz em junho no Teatro Raul Cortez em São Paulo. 
 
Após nove anos, o cultuado musical de Anna Toledo com músicas de Lupicínio Rodrigues reestreia em nova casa e com elenco renovado. 
 
Para viver o melodrama envolvendo amores não-correspondidos, intrigas, ciúmes e traições, entram em cena os atores Danilo de Moura, Maria Bia e Lola Fanucchi. Do elenco original continuam Jonathas Joba, Sergio Rufino e Anna Toledo. 
 
“É claro que eu pensei três vezes antes de retomar o papel”, conta Anna, “pois é mexer numa memória preciosa. Por outro lado, que oportunidade maravilhosa de voltar a esta peça e apresentá-la a um novo público. Tem quase dez anos desde a última temporada, um monte de gente só conhece o Vingança de ouvir o CD.”
 
A complexa trama de Vingança trata de uma ciranda de paixões entre amantes. A inspiração veio das canções do compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues (1914-1974), um dos maiores nomes do gênero samba-canção, que inclusive foi o responsável pela expressão “dor de cotovelo”. Suas canções (“Nervos de Aço”, “Nunca”, “Ela Disse-me Assim”, Vingança”, etc) falam principalmente de amores não-correspondidos, traições e vinganças.
 
“A dor-de-cotovelo foi a sofrência dos anos 50”, brinca o diretor musical Guilherme Terra. Como a sofrência, o gênerodor-de-cotovelo também foi alvo de preconceito da crítica até ser abraçado nos anos 70 por artistas como Caetano Veloso e Maria Bethânia. 
 
Como bom melodrama, Vingança toca em questões sensíveis, como o machismo, a violência, a hipocrisia e as várias formas de abuso. “Talvez estas questões fiquem mais evidentes hoje, em 2022, do que foram em 2013, quando a peça estreou.”, comenta o diretor Andre Dias. “Pode ser mais intenso, pode ser mais incômodo, mas é um risco que vale a pena correr.”
Mais uma produção da Morente Forte Produções Teatrais, a volta de Vingança é mais um sonho acalentado pelas sócias Selma Morente e Célia Forte nos últimos quase 3 anos e que se torna realidade a partir do dia 24 de junho até 28 de agosto, sempre às sextas, sábados e domingos no teatro Raul Cortez.
 

VINGANÇA - O musical
 
Teatro Raul Cortez (513 lugares)
Rua Dr Plínio Barreto, 285, Bela Vista ,São Paulo, SP
Informações: 3254-1631
  
Estreia dia 24 de junho
 
Sexta e sábado: 21h
Domingo: 16h
Vendas: Sympla
 
Temporada até 28 de agosto 
 
Vingança – o Musical
Texto original de Anna Toledo.
Músicas de Lupicínio Rodrigues
Direção Musical: Guilherme Terra.
Direção Geral de André Dias.
Com
Anna Toledo - Luzita
Danilo de Moura - Alves
Jonathas Joba - Liduíno
Lola Fanucchi - Maria Rosa
Maria Bia - Linda
Sergio Rufino - Orlando
e Guilherme Terra como Seu Maestro*
 
Músicos: Guilherme Terra (piano)*, Jeferson de Lima (Violão) e Ricardo Berti (Percussão)
 
* Piero Damiani - Seu Maestro/pianista alternante
Cenários e figurinos: Fabio Namatame
Luz Wagner: Freire
Pianista Ensaiador: Piero Damiani
Coordenação de Comunicação: Beth Gallo
Assessoria de Imprensa: Morente Forte – Thais Peres Forte
Programação Visual: Cassiano Pies
Fotografia: Caio Gallacci
Filmagem: Jady Forte
Redes Sociais e Textos: Ana Paula Barbulho Coordenação Administrativa: Dani Angelotti Assistência Administrativa: Alcení Braz
 
Produção Executiva e adm da temporada: Leonardo Leal
 
Produtoras: Selma Morente e Célia Forte

#vingança #teatro #musical #teatromusical #peçadeteatro #programaçãosp #artefeed #morenteforte #annatoledo #lupiciniorodrigues #musica #porto #teatroraulcortez 

LONGA JORNADA NOITE ADENTRO 

 

unnamed (3).jpg

São Paulo, 15 junho 2022

Considerada a obra máxima de Eugene O´Neill, “Longa Jornada Noite Adentro” ganha versão idealizada, traduzida e dirigida por Sergio Módena e conta com a atriz Ana Lucia Torre no papel principal. A peça estreia no próximo dia 17 de junho, no Tucarena, em São Paulo. Trata-se de uma das mais relevantes obras do teatro do século XX - para muitos críticos ela marca, inclusive, o surgimento do teatro moderno nos EUA - e vencedora do Prêmio Pulitzer, em 1957.
O texto é um depoimento autobiográfico que revela os dramas da família Tyrone. Ana Lucia Torre interpreta Mary, personagem que usa de diferentes artifícios para esconder dos filhos seu vício em morfina. “É a primeira vez que faço um texto de O´Neill. Embarcar nessa personagem múltipla é de muita profundidade e responsabilidade. Afinal, atrizes deslumbrantes já representaram Mary Tyrone”, afirma Ana Lucia Torre. E ela tem razão. No Brasil, por exemplo, a personagem já foi interpretada por Cacilda Becker, Nathália Timberg e Cleyde Yáconis. Nos EUA, em 1962, o texto ganhou versão para o cinema, com Katharine Hepburn no papel principal, o que lhe rendeu uma indicação ao Oscar e o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes.
A peça é um retrato cruel da vida real, da alma humana e transcende a época em que foi escrita, pois trata de experiências que, de uma maneira ou de outra, muitos se identificam, seja em relação à maneira como as relações familiares são construídas ou pelos questionamentos existenciais dos personagens. “Longa Jornada Noite Adentro”, portanto, está longe de ser um drama burguês. É uma tragédia contemporânea.

 
A OBRA

“Longa Jornada Noite Adentro” é um drama familiar que se passa em 1912 e em um único dia. A ação acontece na casa de veraneio dos Tyrone. O patriarca da família, James, é um homem idoso que há muito abandonou as aspirações de ser um grande ator, escolhendo viajar apresentando sempre a mesma peça, que lhe rende um bom dinheiro. Sua esposa, Mary, largou seus sonhos de menina (se tornar atriz ou freira) para acompanhar o marido nas constantes turnês. Ela se tornou viciada em morfina, com pouco ou nenhum contato com a realidade, desde o nascimento do filho mais novo.
O casal tem dois filhos: o mais velho, Jamie, é um ator fracassado que foi "forçado" a seguir os passos do pai e se tornou um alcoólatra, visto que não era capaz de se manter em nenhum outro emprego. Jamie tem inveja do talento do irmão mais novo, Edmund, um jovem que pretende se tornar escritor, mas pode ter sua carreira abreviada pela tuberculose. Edmund, influenciado pelo irmão mais velho, também se envereda pela bebida, pois se sente culpado pelo vício da mãe e não suporta vê-la em tal estado. A criada da casa, Cathleen, acompanha a ação e algumas vezes tenta dar apoio a Mary, sem sucesso.
Enfrentamentos constantes acontecem durante esse dia e o texto vai expondo, gradativamente, o passado turbulento da família.  A jornada de um longo dia termina numa noite infernal, na qual os três homens da família se embriagam enquanto Mary, tomada pelos efeitos da morfina, fala como se ainda fosse jovem, absolutamente desconectada da realidade. Do lado de fora da casa, a neblina se torna cada vez mais densa e intensa, sugerindo que as feridas da família Tyrone são incuráveis. 
“Os personagens se acorrentam em um círculo vicioso. Se punem e são punidos, julgam e são julgados, perdoam e são perdoados, tudo com o intuito de expurgar os próprios ressentimentos e as marcas deixadas pelo outro”, explica o diretor e adaptador do texto, Sergio Módena. Segundo ele, o realismo de O’Neill é permeado de fortes signos, metáforas e simbologias. “É o que podemos chamar de realismo poético”, ressalta o diretor. Para Ana Lucia Torre, Mary Tyrone é um turbilhão e um enorme desafio. “Esse texto é o sonho de qualquer atriz. A melhor coisa na vida e nessa profissão é ter desafios e aprender a superá-los. Posso dizer que estou vivendo num inferno, com a Mary, e ao mesmo tempo nas nuvens”, finaliza Ana Lucia Torre.

Texto EUGENE O´NEILL
Idealização, Tradução e Direção SERGIO MÓDENA
Música Original MARCO FRANÇA
 
ELENCO
ANA LUCIA TORRE- Mary Tyrone
LUCIANO CHIROLLI – James Tyrone
GUSTAVO WABNER – Jamie Tyrone
BRUNO SIGRIST – Edmund Tyrone
MARIANA ROSA- Cathleen
 
Cenário ANDRE CORTEZ
Figurino FÁBIO NAMATAME
Iluminação ALINE SANTINI

 

Teatro TUCARENA (252 lugares)
Rua Monte Alegre 1024, Perdizes, São Paulo
 
Sexta e sábado: 20h30
Domingo: 18h30

Vendas Sympla ou bilheteria 

#artefeed #analuciatorre #teatro #tucarena #morenteforte #eugeneoneill #sergiomodena #lucianochirolli 

unnamed.png

Em Algum Lugar Entre As Estrelas 

São Paulo,23 maio 2022

Reconhecido pelas adaptações para o teatro musical de obras como “O Menino Maluquinho”, de Ziraldo, “Medida por Medida”, de Shakespeare, e “Castelo Rá Tim Bum”, seriado infantil da TV Cultura, além do texto original de Brilha la Luna - musical com canções da Banda Rouge; o ator, cantor e dramaturgo Juliano Marceano estreia agora um espetáculo musical totalmente autoral: Em Algum Lugar Entre as Estrelas

 

Diferentemente das grandes produções importadas, a montagem está alinhada ao recente movimento de montagens ao estilo ‘off-broadway’ em cartaz na cidade de São Paulo. As linguagens de teatro musical e teatro de prosa se complementam dando um ‘quê’ de experimental à produção.

 

A temporada, que estreia no dia 7 de junho no Espaço ao Cubo.

A obra conta com direção geral de Celso Correia Lopes (French Kiss, Pequena Magdalena), músicas de Paulo Ocanha (prêmio Bibi Ferreira de melhor música original por Hadassa – O Musical), letras de Gabriela Gonzalez (Nautopia), direção musical de Ettore Veríssimo (Peter Pan – O Musical da Broadway, Naked Boys Singing!) E direção de movimento de Marcelo Vasquez (Chicago, A Pequena Sereia).

 

Em Algum Lugar Entre as Estrelas reúne relatos de três personagens sobre histórias de amor, fuga e reconhecimento. Entre os conflitos, a perspectiva de uma mulher que tem o casamento atravessado pela ditadura militar, relacionamentos homoafetivos nos anos 90 e os amores líquidos atuais.

 

Separadas pelo tempo-espaço, as narrativas se embaralham no período que vai dos anos 1950 aos dias atuais. A encenação, no entanto, é parceira do espectador na missão de alinhavar esses recortes e revelar elos ocultos entre as tramas. Os relatos são costurados também pelas histórias do Homem que Observa as Estrelas, personagem que mostra – por meio de lendas e dados científicos – como movimentos celestes ecoam em vidas e experiências reais.

 

Criado como um texto de narrativas, a proposta da encenação é conduzir a peça como um bate-papo direto com o público. O objetivo, segundo a equipe de criação, é que o público se despeça dos personagens como amigos que dizem “até mais” ao final de um encontro.

 

"Ouvindo as histórias desses personagens sobre seus erros e acertos, dissabores e afetos, notamos que todos estão conectadas num grande círculo e que tudo que nos transpassa deixa marcas que reverberam além da nossa existência", conta Marceano. 

 

Elenco

Diego Bargas 

Michelle Giudice

Juliano Marceano

Vanessa Rodrigues

Deivid Bispo

Renato Milan

Gabrielle Felippe

 

Equipe Criativa

Texto: Juliano Marceano

Letras: Gabriela Gonzalez

Músicas: Paulo Ocanha

Direção Geral: Celso Correia Lopes

 

Temporada: De 8 a 28 de junho de 2022, quartas e quintas-feiras, às 20h30

Local: Espaço ao Cubo (Rua Brigadeiro Galvão, 1010 - Barra Funda - SP, 01155-080)

#teatro #peçateatro #artefeed #programaçãosp 

WhatsApp Image 2022-05-05 at 14.47.22.jpeg

A Noite do Choro Pequeno 

5ão Paulo, 5 de maio 2022

Após uma temporada de sucesso em São Paulo e no Rio de Janeiro em 2021, o espetáculo A Noite do Choro Pequeno retorna para uma nova temporada na capital paulista a partir do dia 07 de maio no Teatro do Shopping West Plaza.

A peça estrelada pelas atrizes Daliléa Ayala e Letycia Martins, com texto do autor português João Ascenso e direção de Ricardo Brighi , conta a historia de duas mulheres - Luísa e Maria Ana - que passam a noite numa estação rodoviária em Lisboa.

A ação se passa nos anos de 1960, no período da Ditadura Salazarista em Portugal. Isoladas do olhar dos outros, elas aguardam o primeiro trem da manhã, enquanto vão conhecendo um pouco da vida da outra. Luísa é pobre, saiu da prisão há algumas semanas e espera reencontrar-se com o passado.

Vítima de violência sexual, tentou assassinar o estuprador e por isso foi presa. Na penitenciária dá à luz a seu filho, que é entregue ao “pai”. O desejo de Luísa é reencontrar a criança, ainda que não consiga estabelecer com ela o laço materno.

Maria Ana foge do passado. Casada com um médico, viu sua vida se reduzir à vida doméstica, ao trato do filho e do marido. Não se sente amada, anulou-se em função do casamento, está infeliz. Decidiu fugir, acreditando ser essa a solução para suas frustrações. Aos poucos, a conversa entre as duas deixa a verdade à solta e o amanhecer revela duas mulheres diferentes.

A Noite do Choro Pequeno teve sua primeira montagem em Portugal em 2015 e voltou à cena em 2018 / 2019, com as atrizes portuguesas Sofia Nicholson (Luísa) e Alexandra Sargento (Maria Ana).

Texto: João Ascenso

Direção: Ricardo Brighi

Direção de produção: Gerardo Franco

Elenco: Daliléa Ayala e Letycia Martins

Iluminação: Gerardo Franco

Trilha sonora: Amanda Annunciato

Teatro West Plaza- Sala Laura Cardoso (Av. Antártica 408, – Água Branca), 122 lugares. Com acessibilidade para cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida.

DATA: 07/05 até 28/05 (Sábado 20h30)

Sweeney Todd

 

São Paulo, 3 de março de 2022

Inspirada no livro O Colar de Pérolas, publicado em 1846 pelos escritores britânicos Thomas Peckett Prest e James Malcom Rymer, esta fábula vitoriana macabra adaptada com maestria por Stephen Sondheim chega ao Brasil em sua versão original e oficial. Seja na literatura nos cinemas ou no palco, Sweeney Todd sempre chamou a atenção do público pelo seu humor sórdido e inteligente.

 

Sweeney Todd – o Cruel Barbeiro da Rua Fleet desembarca em São Paulo com montagem de sua versão original no próximo dia 18 de março.

A curta temporada acontece no 033 Rooftop do Teatro Santander, localizado no Complexo JK Iguatemi.

O musical é apresentado por Ministério do Turismo, tem patrocínio de Santander, Esfera, Getnet e Eurofarma, e apoio RCI. A realização é de Del Claro Produções e Firma de Teatro. Ingressos custam a partir de R$37,50 (meia-entrada) e já estão disponíveis para venda no link https://bileto.sympla.com.br/event/71480 e bilheterias do Teatro Santander

 

O musical conta a história de Benjamin Barker, barbeiro que se viu obrigado a ir embora de Londres por conta de uma briga com o cruel Juiz Turpin (Guilherme Sant'Anna). Após 15 anos afastado da cidade ele retorna sob o pseudônimo Sweeney Todd (Rodrigo Lombardi) e sedento por vingança. Ao chegar ao lugar onde funcionava sua antiga barbearia, na Rua Fleet, Todd se depara com uma arruinada loja de tortas administrada pela Dona Lovett (Andrezza Massei). A partir daí, Todd e Lovett unem forças para que ele se vingue de Turpin, e ela faça sua loja crescer com tortas recheadas de ingredientes muito suspeitos.

 

A adaptação para o país conta com direção musical de Fernanda Maia e direção geral de Zé Henrique de Paula. A produção geral é de Adriana Del Claro. O trio é conhecido por montagens de sucesso recentes do teatro musical brasileiro como “Chaves – Um Tributo Musical” e “Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812”.

 

Além de Rodrigo Lombardi e Andrezza MasseiSweeney Todd ainda conta com Mateus Ribeiro (Peter Pan – o musical e Chaves – Um Tributo Musical) no elenco. O ator fará o papel do garoto Tobias Ragg. Confira abaixo a lista completa de atores do espetáculo:

 

Sweeney Todd - Rodrigo Lombardi

Dona Lovett - Andrezza Massei

Tobias Ragg - Mateus Ribeiro

Juiz Turpin - Guilherme Sant’anna

Anthony - Dennis Pinheiro

Johanna - Caru Truzzi

Bedel Bamford- Gui Leal

Lucy Barker - Amanda Vicente

Adolfo Pirelli - Elton Towersey/Pedro Navarro

Cover Sweeney - Diego Luri

Cover Lovett - Amanda Vicente

Cover Turpin - Renato Caetano

Cover Johanna - Sofie Orleans

Cover Anthony - Pedro Silveira

Cover Tobias - Edmundo Vitor

Cover Lucy - Bel Barros/Pamella Machado

Cover Bamford - Davi Novaes

Temporada: A partir de 18 de março de 2022 (curta temporada)

Local: 033 Rooftop do Teatro Santander

Endereço: Complexo do Shopping JK - Av. Juscelino Kubitschek, 2041 - Itaim Bibi - SP

Sessões: Sextas, às 21h30 / Sábados, às 16h e 20h / Domingos, às 18h 

Classificação Etária: 16 anos

Duração: 120 minutos (com intervalo de 15 minutos)  #sweeneytodd #033rooftop #shoppingjkiguatemi #artefeed #artefeed #rodrigolombardi #ocolardeperolas #teatro #teatrosantander #sãopaulo