foto site.jpeg

Por Sonia Cooper 

          Música e Teatro 

NÃO FOI MINHA CULPA

“Não Foi Minha Culpa”, nova série de drama produzida pelo Star Original Productions, estreia no dia 10 de agosto com exclusividade no Star+. Desenvolvida no Brasil, a produção narra histórias de vítimas de feminicídios e violência contra mulheres de diferentes idades e classes sociais.

As tramas são inspiradas em acontecimentos reais, e têm o Carnaval como ponto comum e elo temporário entre suas trajetórias. A tradicional festa brasileira, que representa a liberdade e a tolerância, serve de cenário para histórias que revelam as contradições da sociedade.

A série utiliza o formato antológico, ou seja, cada um dos 10 episódios traz uma história diferente, sem continuidade e conexão narrativa entre um e outro – a não ser pelo tema geral da produção. 

Elenco:Bianca Comparato,Armando Babaioff,Fernanda Nobre, Daniel Blanco, Gabrielle Joie, Sandra Corveloni, Dandara Mariana, Elisa Lucinda, Felipe Kannenberg, Aline Dias, Virginia Rosa,Robson Nunes,Romulo Braga,Simone Iliescu, Enrico Cardoso,Luana Xavier,João Baldasserini,Ana Paula Secco e Marat Descartes.

Os roteiros são de Juliana Rosenthal e Michelle Ferreira e a direção é assinada por Susanna Lira.

 

estreia dia 10 de agosto exclusivamente no Star+.  *VIOLÊNCIA CONTRA MULHER É CRIME, DENUNCIE! DISQUE 180*

#nãofoiminhaculpa #feminicidio #violenciadegenero #seriado #starplus #artefeed #historia #denuncia #180 #crime #defesa #robsonnunes #elisalucinda #fernandanobre  

unnamed.jpg

 Top Gun: Maverick

 

São Paulo,23 maio 2022

Tom Cruise classificou como “assustador e emocionante” seu retorno em ‘Top Gun: Maverick’ 30 anos após o primeiro filme. O astro também revelou conversas que teve com elenco, estúdio e redes de cinema sobre a sequência de adiamentos no lançamento da produção em razão da pandemia da covid-19 em uma entrevista à jornalista Renata Boldrini, parceira da Ingresso.com, no tapete vermelho da première do longa em San Diego, nos Estados Unidos. O filme chega aos cinemas nessa quinta, dia 26.

 

“Surreal. Foi surreal revisitar tudo isso. Vestir a jaqueta (de Pete Maverick), entrar no set, até mesmo tentando realizar tudo isso (mais uma vez). Foi assustador e emocionante”, descreveu o ator.


Tom também revelou os desafios e conversas que precisou ter sobre os adiamentos para o lançamento do filme. “Terminamos (o filme) na pandemia. Tive que chamar atores e todos os envolvidos no estúdio e falar: teremos que adiar novamente por mais um ano até os cinemas estarem abertos. Liguei para os cinemas e disse: escutem, estamos chegando. E se vocês estiverem abertos, nós estaremos aqui”, contou.

Todos os atores que aparecem voando nos caças durante o filme realmente tiveram que aprender a pilotar. O curioso é que o treinamento -- bem a cara de um intensivão -- foi elaborado pelo próprio Tom Cruise.


“Tive que aprender sim (a voar). E também tive que aprender a nadar, eu não sabia. Tivemos que aprender e fazer um teste de natação para entrar no (caça) F-18. O Tom (Cruise) criou um intensivo, um programa de voo, onde aprendemos a pilotar um Cessna, X300, L-39 e o F-18. Foi intenso, mas ver aquilo na tela é incrível”, contou Greg Tarzan Davies, que dá vida ao personagem Javy Machado.


Glen Powell, que interpreta o piloto Jake Seresin, revelou que treinou em simuladores por mais de um ano para se adaptar às mudanças drásticas de direção a que seriam submetidos nas filmagens dentro dos caças. “(Pratiquei) e muito! Eu tirei minha licença de piloto nesse filme”, brincou.


Já Miles Teller, que vive o piloto Bradley Bradshaw, comparou a sensação de pilotar os jatos a ter ‘sete quilos de tijolos sobre o peito’. “Tivemos muito tempo para nos sentirmos confortáveis nesses jatos. É girar em círculos, sei lá, umas 30 vezes e depois tentar atuar. Em seguida, adicionar sete mil quilos de tijolos sobre o peito. É como parece quando estamos nos jatos”, finalizou.

Sinopse
Depois de mais de 30 anos servindo a marinha como um dos maiores pilotos de caça, Pete  "Maverick" Mitchell continua na ativa, se recusando a subir de patente e deixar de fazer o que mais gosta, que é voar. Enquanto ele treina um grupo de pilotos em formação para uma missão especial que nenhum Top Gun em vida jamais participou, ele encontra Bradley Bradshaw, que tem o apelido de Rooster, o filho do falecido amigo de Maverick, o oficial Nick Bradshaw, conhecido como Goose. Enfrentando um futuro incerto e lidando com fantasmas de seu passado, Maverick confronta seus medos mais profundos em uma missão que exige sacrifícios extremos daqueles que serão escolhidos para executá-la. 
 
Ficha técnica
Ação
Diretor: Joseph Kosinski.
Elenco: Tom Cruise, Miles Teller, Jennifer Connelly, Jon Hamm, Glen Powell, Lewis Pullman, Charles Parnell, Bashir Salahuddin, Monica Barbaro, Jay Ellis, Danny Ramirez, Greg Tarzan Davis com Ed Harris.
Roteiro: Ehren Kruger, Eric Warren e Christopher McQuarrie.
Produção: Jerry Bruckheimer, Tom Cruise, David Ellison.
Duração: 131 minutos.  
Distribuidora: Paramount Pictures.

#topgun #maverick #tomcruise #filme #cinema #estreia #artefeed #hollywood #paramountpictures #milesteller #jenniferconnelly 

Avril Lavigne 

Avril Lavigne Main PR Image.jpg

São Paulo, 10 maio 2022

Após 8 anos de espera para os fãs, Avril Lavigne está de volta ao Brasil! A artista faz única apresentação em São Paulo, no dia 07 de setembro, no Espaço das Américas. Viajando o mundo com a turnê “Love Sux”, a cantora canadense traz um show que não faltarão seus grandes sucessos, como "Complicated", "Sk8er Boi", "Girlfriend", "Here's To Never Growing Up" e "Head Above Water", além das músicas “Love Sux”, o sétimo álbum de estúdio de sua carreira. 

 

Os clientes dos cartões C6 Bank Mastercard terão pré-venda exclusiva entre 13 e 14 de maio, iniciando às 10h online (www.eventim.com.br) e na bilheteria oficial (Espaço das Américas). Para o público geral, a venda começa no dia 16 de maio nos mesmos canais e horários. Clientes dos cartões C6 Bank Mastercard têm ainda o benefício de parcelamento em até 4 vezes sem juros e os demais 2x. A turnê no Brasil é um patrocínio do C6 Bank e da Mastercard com realização da Live Nation Brasil. Para obter mais informações, visite www.livenation.lat

 

"Love Sux" marca a estreia de Avril no selo DTA RECORDS, de Travis Barker e com distribuição nacional da Warner Music Brasil. De acordo com a Forbes: "Com ‘Love Sux’, Lavigne está pronta para clamar seu status de verdadeira superstar". Para a Billboard "Love Sux pode ser descrito como o retorno da princesa do Pop-Punk".

 

O álbum composto por 12 músicas traz de volta o pop-punk característico da cantora de forma icônica, com colaborações épicas e hits já lançados, entre eles "Bite Me" e "Love It When You Hate Me", feat com blackbear.

 

Sobre Avril Lavigne

Avril Lavigne fez história, vendeu muitos discos e deixou pegadas consistentes de sua força na música e cultura. A artista vendeu 40 milhões de álbuns mundialmente, sendo 12,5 milhões apenas nos Estados Unidos, conquistou oito indicações ao GRAMMY® em categorias como "Melhor Nova Artista" e "Música do Ano" duas vezes por "Complicated" e "I'm with You". Avril já ganhou oito Juno Awards, incluindo o de "Artista do Ano". Recebeu sete selos de platina por "Let Go" [2002], platina tripla por "Under My Skin" [2004], platina dupla por "The Best Damn Thing" [2007], ouro por "Goodbye Lullaby" [2011], ouro por "Avril Lavigne" [2013], e "Head Above Water" [2019].

 

Avril se destacou por sucessos atemporais como "Complicated", "Sk8er Boi", "Girlfriend", "Here's To Never Growing Up" e "Head Above Water". Até hoje, ela permanece como uma das "maiores vendedoras da era Soundscan dos Estados Unidos" e a "terceira mulher canadense com melhor número de vendas de todos os tempos". A artista conquistou um lugar no Top 10 do chart "Best of the 2000s" da Billboard e está estabelecida no livro Guinness dos recordes como "a mais jovem artista feminina solo a atingir o primeiro lugar no chart do Reino Unido", e com "Girlfriend" como "o primeiro vídeo musical a atingir 100 milhões de visualizações no YouTube".

 

A cantora soma hoje mais de 95,5 milhões de fãs em todo o globo, mais de 16 milhões de ouvintes mensais no Spotify, e mais de 5,3 bilhões de views no Youtube. #show #musica #avrillavigne #artefeed #motisuki #espacodasamericas #espacounimed 

Ney Matogrosso Musical Homem com H 

Depois do enorme sucesso do musical Silvio Santos Vem Aí, a produtora Paris Cultural escolheu homenagear o camaleônico cantor Ney Matogrosso, uma das figuras mais singulares da música e da cultura brasileiras. Trata-se do musical Ney Matogrosso – Homem com H, que estreia no dia 9 de setembro (sexta-feira) no 033 Rooftop, do Teatro Santander, localizado no Complexo JK Iguatemi, em São Paulo. 

O espetáculo tem texto de Emilio Boechat e Marilia Toledo, que assina também a direção ao lado de Fernanda Chamma, e direção musical de Daniel Rocha. 

Após um intenso processo de audições, o ator escolhido para viver o homenageado é Renan Mattos. Ao lado dele, estão também confirmados Vinícius Loyola (no papel de Cazuza) e Hellen de Castro (Rita Lee). 

A ideia de montar essa produção, de acordo com a diretora e autora Marília Toledo, surgiu depois que ela soube que seus sócios Marcio Fraccaroli e Sandi Adamiu tinham adquirido os direitos para realizar um longa-metragem sobre a vida de Ney Matogrosso. “Eu logo pedi para que eles também adquirissem os direitos para levar a história para o teatro. Tivemos um almoço com o Ney, quando pudemos compartilhar com ele nossa visão sobre esse espetáculo musical”, revela.

“Ney é um artista único, com uma visão cênica impressionante. Ele cuida de todas as etapas de sua performance. Além da escolha de repertório e banda, pensa no figurino, na iluminação, na direção geral.  E, quando está em cena, transforma-se em diferentes personagens. Ele nunca estudou dança e, quando o vemos em cena, parece que nasceu sabendo dançar. Mas ele jamais se coreografa. É sempre um movimento livre”, admira-se a encenadora. 

Já para Renan Mattos é extremamente desafiador interpretar uma figura tão importante para a nossa cultura. “O Ney é um ser camaleônico, tem um lado íntimo reservado, mas ao mesmo tempo é catártico no palco e apresenta um leque de personas a cada música. Cada uma dessas personas tem algo de místico, de misterioso, de selvagem, um ser ‘híbrido’ como definido por muitos, indecifrável. Então eu não me sinto interpretando o Ney e sim pedindo licença e pegando emprestado tudo aquilo que ele transformou na música e na vida das pessoas, todos os caminhos que ele abriu para pessoas e artistas como eu e isso é muito significativo”.

O musical chega para apresentar ao público essa figura tão importante para a nossa cultura, “algo obrigatório para qualquer brasileiro”, como considera Toledo. “A discografia de Ney Matogrosso passeia pelos compositores mais importantes do nosso país, o que reflete a nossa história. E sua história de vida é extremamente interessante. Ele sempre foi um homem absolutamente autêntico. Experimentou e ousou como nenhum outro artista, enfrentando os militares de peito aberto e nu, literalmente”.

A montagem

Ney Matogrosso – Homem com H explora momentos e canções marcantes na trajetória do cantor sem seguir necessariamente uma ordem cronológica. A história começa em um show do Secos & Molhados, em plena ditadura militar, quando uma pessoa da plateia o xinga de “viado”. Essa cena se funde com momentos da infância e adolescência do artista. E, dessa forma, outros episódios vão se encadeando na cena.

Para contar essa história, Marilia Toledo e Emilio Boechat mergulharam nas três biografias já publicadas sobre Ney Matogrosso, além de matérias jornalísticas, vídeos e o próprio artista. “Com a ajuda do próprio Ney, tentamos ser fiéis aos fatos mais importantes de sua vida privada e profissional, mas com a liberdade lúdica que o teatro pede”, revela a diretora.

Em relação às canções do homenageado, o musical também não segue uma cronologia – exceto naqueles momentos em que a dramaturgia precisa ser mais fiel à realidade. As músicas vão sendo encaixadas no contexto de cada cena e as letras acabam estabelecendo um diálogo interessante com a vida de Ney Matogrosso.

Quanto à encenação, as diretoras apostam em um ensemble potente, que irá apoiar o protagonista do começo ao fim – e praticamente sem sair de cena. As trocas de figurinos e até maquiagens, inclusive, serão feitas na frente do público, brincando com as ideias de oculto e o explícito o todo o tempo. 

Além da própria trajetória do homenageado, o musical discute um tema cada vez mais relevante para a realidade brasileira: a liberdade. “Principalmente, a liberdade de ser quem se é, a qualquer custo. Ney combateu a ditadura não com palavras, mas com sua atitude cênica, entrando maquiado e praticamente nu no palco e na televisão, na época de maior censura que o país já viveu. As ambiguidades que ele sempre trouxe para o público foram pauta na década de 70 e permanecem em pauta até os dias de hoje. Ele também sempre foi adepto do amor livre e deixou clara a sua bisexualidade desde o início”, destaca Toledo.

Outro aspecto que tem bastante importância na montagem são os icônicos e provocantes figurinos de Ney Matogrosso. A diretora conta que a figurinista Michelly X está mergulhada em uma intensa pesquisa dos trajes originais usados pelo artista-camaleão para poder reproduzi-los com bastante fidelidade.

“Para a direção musical, demos total liberdade a Daniel Rocha na concepção musical e sonora. Ele tem uma inteligência profunda na arte de contar histórias por meio de seus arranjos e escolhas de instrumentos e vozes para cada momento da trama. 

Texto: Marilia Toledo e Emílio Boechat
Direção: Fernanda Chamma e Marilia Toledo
Direção Musical: Daniel Rocha 

Coreografia: Fernanda Chamma
Cenografia: Carmem Guerra

Figurinos: Michelly X

Visagismo - Edgar Cardoso
Desenho de som – Eduardo Pinheiro

Preparação vocal – Andréia Vitfer

Realização: Paris Cultural

 

Elenco por ordem alfabética:

Adriano Tunes – Gérson Conrad

Arthur Berges – Vicente Pereira

Bruno Boer – Cover Ney Matogrosso

Dante Paccola – Ney jovem

Fábio Lima – Ensemble

Giselle Lima – Beíta 

Hellen de Castro – Rita Lee

Laura Carolinah – Regina Chaves

Marcos Lanza – Moracy do Val

Maria Clara Manesco – Luli

Maurício Reducino – Ensemble 

Natália Antunes – Dance Captain

Renan Mattos – Ney Matogrosso

Rhener Freitas – João Ricardo

Tatiana Toyota – Elvira 

Vinícius Loyola - Cazuza

Vitor Vieira – Matto Grosso 

Yudchi Taniguti – Frejat

 

NEY MATOGROSSO – HOMEM COM H
Temporada: 9 de setembro 30 de outubro de 2022

Sessões: sextas-feiras às 20h30, sábados às 15h30 e às 20h30, Domingo 15h30 e 20h.

Duração do espetáculo: 2 h (com 15 minutos de intervalo)
Local: 033 Rooftop (cobertura do Teatro Santander)

#neymatogrosso #homemcomh #teatrosantander #rooftop #033rooftop #musical #teatro #peçadeteatro #lazer #programaçãosp #sãopaulo #artefeed 

Congresso Mundial de Flamenco

 

Com o objetivo de mostrar ao mundo a importância do Flamenco, após ter sido declarado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, o Instituto Cervantes organiza o Congresso Mundial de Flamenco, evento que já passou por países como Estados Unidos, Marrocos e Inglaterra e que visa criar um espaço de reflexão através de cinco linhas temáticas - a Palavra, o Corpo, a Transformação e o Futuro, a Mestiçagem e a Diversidade, e as Emoções.

Por meio de uma programação multidisciplinar de reflexão e exibição artística, e com a finalidade de aproximar a arte flamenca do público brasileiro, o congresso apresenta o España Baila, um programa da turnê que será realizado pela bailarina e coreógrafa María Pagés, prêmio Princesa de Astúrias das Artes 2022, e sua companhia de dança. Os encontros gratuitos acontecerão em quatro capitais brasileiras com diferentes formatos: ensaios abertos, exibição de documentário e encontros com María Pagés.

O programa de España Baila será realizado em quatro centros do Instituto Cervantes do Brasil: abre-se o ciclo em Curitiba, onde o Instituto Cervantes exibirá o documentário Las tribulaciones de María, de El Arbi El Harti, dia 19 de agosto às 19h, no Cine Passeio, Rua Riachuelo, 410. Ao final da projeção, acontecerá um bate-papo entre o diretor do documentário e María Pagés.

A segunda atividade será na cidade de São Paulo: o Instituto Cervantes da capital paulista realiza um encontro com María Pagés, intitulado Dança Flamenca - Constantes e Variantes de Uma Arte por Vir, dia 22 de agosto às 19h, na Av. Paulista, 2439, e também o ensaio aberto Flamenco em processo, dia 23 de agosto às 15h, no Teatro Alfa, Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 - Santo Amaro.

No Rio de Janeiro a bailarina falará sobre dança, coreografia e técnicas de sapateado, a partir de uma perspectiva de trabalho muito pessoal. O encontro ocorrerá dia 25 de agosto, às 18h, no auditório do Instituto Cervantes - Rua Visconde de Ouro Preto, 62 – Botafogo. Já no dia 26 de agosto, às 15h, a Companhia apresentará o Flamenco em Processo: ensaios abertos ao público, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Praça Floriano, s/n – Centro.

Para finalizar o ciclo de España Baila no Brasil, María Pagés visitará a sede do Instituto Cervantes de Porto Alegre para dialogar com o público da cidade. Será no dia 1º de setembro, às 19h na Rua João Caetano, 285.

Além das atividades de España Baila organizadas pelo Instituto Cervantes, a Companhia de María Pagés volta aos palcos brasileiros junto à parceria de Dell’arte Soluções Culturais, desta vez com Una Oda al tiempo, um espetáculo composto por oito bailarinos e um grupo de sete músicos que percorrerão cinco capitais: Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre.

Sobre María Pagés:  nasceu em Sevilha, em 1963, no bairro de Triana. Iniciou sua carreira nas Companhias de Antonio Gades, Rafael Aguilar e Mario Maya, para mais tarde fundar a sua própria. Idealizou espetáculos como El perro andaluz. Bulerías, La tirana ou Flamenco Republic, com sucesso dentro e fora da Espanha. Em 1992, criou a coreografia Tango, estreada no Auditorio do recinto da Expo’92 de Sevilha. Entre 1996 e 1997, foi diretora do Centro Andaluz de Dança. Dois anos depois, a Prefeitura de Torrelodones ofereceu ao seu grupo se estabelecer no Teatro Bulevar como companhia residente. Dividiu cenário com outras artistas, como Tamara Rojo ou Marianne Faithfull. Também participou em filmes como Carmen ou El amor brujo, de Carlos Saura, e La bella Otero, de José María Sánchez.

Serviços: España Baila em São Paulo

Dia: 22 de agosto às 19h

Encontro com María PagésDança Flamenca - Constantes e variantes de uma arte por vir

Onde: Instituto Cervantes São Paulo

Av. Paulista, 2439

Inscrições: belen.fiallos@cervantes.es

Quanto: Gratuito

Dia: 23 de agosto às 15h

Ensaio aberto:  Flamenco em Processo com María Pagés

Onde: Teatro Alfa

Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 - Santo Amaro.

Inscrições: belen.fiallos@cervantes.es

Quanto: Gratuito

 

Maria Pagés em Una Oda al tiempo

Onde: Teatro Alfa

Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 - Santo Amaro.

Dias: 23/08 – 20h30

          24/08 – 20h30

Onde comprar: https://www.dellarte.com.br/content/maria-pages-compania-rio-de-janeiro-theatro-municipal   #eventos #apresentação #flamenco #institutocervantes #mariapagés #dança #dellarte #artefeed #espanha #españa 

GREASE O MUSICAL 

São Paulo,  14 junho 2022

Musical de sucesso criado em 1971, nos EUA, ganhou reconhecimento mundial em 1978 com o filme estrelado por John Travolta e Olivia Newton-John. A obra agora ganha versão nacional com a adaptação da montagem original e que promete encantar fãs de todas as idades.

 

Para a adaptação de Grease – o musicalRicardo Marques (responsável pelas montagens oficiais tanto em São Paulo quanto em Londres) prepara um show recheado de hits eternizados no filme e algumas composições inéditas. Por aqui, a montagem ganha versão com músicas em português e, ao final da apresentação, o elenco voltará ao palco para uma grande festa em que cantará as principais canções nas versões originais em inglês.

 

A estreia está marcada para o dia 17 de junho e os fãs já podem garantir seus lugares pelo site https://bileto.sympla.com.br/event/72604/d/134417 e bilheteria do Teatro Claro SP. Os ingressos custam a partir de R$50 (meia-entrada). 

 

Grease - o musical é uma realização da 4Act Entretenimento, produtora conhecida por produções como Ghost – o musicalA Era do Rock e Castelo Rá-Tim-Bum – o musical. Confira elenco e toda a ficha técnica abaixo: 

 

Elenco

Danny: Robson Lima

Sandy: Luli

Rizzo: Gabi Camisotti

Kenickie: Nathan Leitão

Frenchy: Dalia Halegua

Marty: Carol Pita

Jan: Daiana Ribeiro

Sonny: Júlio Oliveira

Doody: Eduardo Melo

Roger: Rafael Miranda

Patty: Julia Pronio

Cha Cha: Mariana Fernandes

Eugene: Celso Till

Johnny Casino: Guilherme Lopez

Vince Fontaine / Officer Maiale: Ruy Brissac

Teen Angel: Nick Vila Maior

Miss Lynch: Giovana Zotti

Ensemble: Aline Ramos, Gabriela Melo, Diego Lemos e Vinicius Cosant

Swing: Giulia Propheta e Tahyff Nistaldo

 

Equipe Criativa

Diretor: Ricardo Marques

Assistente de Direção e Diretor Residente: Igor Pushinov

Diretor Musical: Paulo Nogueira

Coreografo: Elcio Bonazzi

Assistente de Coreografia e Coreógrafa Residente: Victoria Ariante

Cenógrafo: J. C. Serroni

Figurinista: Márcio Vinícius

Visagista: Antonio Vanfill

Desenho de Som: Tocko Michelazzo

Desenho de Luz: Rogério Cândido

Versionistas: Silvano Vieira e Sofia Bragança

Produtor de Objetos: Clau Carmo

Sinopse:

Na Califórnia de 1959, a popular Sandy e o metido Danny se apaixonam e aproveitam um verão inesquecível na praia. Quando voltam às aulas, eles descobrem que frequentam a mesma escola. Danny lidera a gangue do Burguer Palace Boys, um grupo que gosta de jaquetas de couro e muito gel no cabelo, e Sandy passa tempo com as Pink Ladies, lideradas pela firme e sarcástica Rizzo. Quando os dois se reúnem, Sandy percebe que Danny não é o mesmo por quem se apaixonou e, por isso, ambos precisam mudar caso queiram ficar juntos.

Local: Teatro Claro SP – Shopping Vila Olímpia - R. Olimpíadas, 360 - Vila Olímpia, São Paulo - SP, 04551-000

Capacidade: 799 pessoas

http://teatroclarosp.com.br/

 

Classificação: 12anos

Duração: 135 minutos

#grease #artefeed #teatro #musical #teatroclaro #sãopaulo #peçamusical 

O Teatro Na Fotografia - Exposição fotográfica 

São Paulo, 1 junho 2022

‘Jairo e João: O Teatro na fotografia de Jairo Goldflus e João Caldas’

Mostra reúne mais de cem imagens de artistas nos palcos como Marília Pêra, Francisco Cuoco, Miguel Falabella, Fábio Assunção, Ingrid Guimarães, Reynaldo Gianecchini e Eva Wilma, a partir de 1º de junho, com entrada gratuita.

Marília Pera em foto de Jairo Goldflus, por ocasião da peça Mademoiselle Chanel (2004) (créditos: Jairo Goldflus)

O Instituto Artium exibe, a partir da quarta-feira 1º de junho, a exposição Jairo e João: O teatro na fotografia de Jairo Goldflus e João Caldas sobre a Cena Teatral, reunindo fotografias da trajetória artística de dois baluartes da fotografia na dramaturgia. Com curadoria de Rafael Gomes, a mostra segue em cartaz até o dia 11 de setembro.

 Entre os vários atores e atrizes fotografados figuram Marília Pêra, Eva Wilma, Wagner Moura, Francisco Cuoco, Miguel Falabella, Claudia Abreu, Leandra Leal, Vladimir Brichta, Juliana Paes, Marília Gabriela, Fábio Assunção, Cleto Baccic, Ingrid Guimarães, Celso Frateschi, Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Gianecchini, Gabriela Duarte e Arthur Berges.

Ao longo de suas carreiras, Jairo e João têm prestado contribuições decisivas ao teatro paulistano. As fotografias de ambos figuram em inúmeros programas de peça, cartazes promocionais, publicações jornalísticas, livros e acervos culturais do país. Para além da função de divulgação e documentação, as fotografias para teatro de João e Jairo carregam traços singulares e apresentam poéticas próprias. Convidado pelo Instituto Artium para que a exposição fosse concebida como um recorte da narrativa teatral, Rafael Gomes, que assina a curadoria da exposição, comenta: “Ao reunirmos as fotografias para teatro de Jairo e João, evidenciamos as escolhas estéticas e o olhar único de cada um deles. #fotografia #teatro #mariliapera #joãocaldas #jairogoldflus #institutoartium #musical #teatromusical #evita #cletobaccic #atelierdecultura #artefeed #miguelfalabella #fabioassuncao #gabrieladuarte #reginaduarte  

faculdade-de-teatro.jpg
ESTREIA 

Novos teatros em São Paulo em 2022

 

 

teatro.jpg
ÓPERAS E MUITO MAIS 

Òperas , Ballet, Circo,